Mercedes-Benz AMG GT R

Uma arma criada no inferno, inferno verde não se assustem.

World Premiere Mercedes-AMG GT R (C190) Brooklands 2016

Não há um texto que eu escrevo que eu não fale de Nürburbring, é verdade, mas o que acontece é que maioria dos carros Street Legal – aqueles que são modelos de ruas com foco em desempenho em pista – são incríveis e carregados de truques que os engenheiros guardam na manga e liberam apenas para os carros mais extremos de suas fabricantes.

E não é diferente com o recém apresentado AMG GT R, testado e aperfeiçoado em Nürburgring, dono de uma das mais chamativas cores da indústria automobilística atual, com o nome de – AMG Green Hell Magno.
De acordo com Tobias Moers, chefe da AMG eles esperam o modelo seja capaz de fazer um tempo abaixo de 7:20,00 no Inferno Verde, já que o modelo do qual o carro é derivado AMG GT S fez 7:30,00. Mas em Dezembro do ano passado levaram o carro para um teste definitivo no Inferno Verde e o carro fez o tempo mais rápido entre os carros tração traseira produzidos em série. Estabeleceu a marcar de 7:10.92, ficando a pouco mais de 2 segundos do GT-R Nismo, um carro mais potente e com tração integral.

2017 Mercedes-AMG GT-R - 5

Em essência esse motor é muito parecido com o motor que equipa o GT S e desenvolve 510cv, as mudanças começam com as turbinas, as antigas foram removidas e em seus lugares foram instaladas duas turbinas maiores na configuração entre as bancadas, instalação essa que deixa o motor muito mais compacto e com respostas mais rápidas das turbinas. A pressão de trabalho das turbinas foram aumentadas para entregar mais potência, 585cv para ser mais preciso.

A Mercedes também modificou o sistema de escapamento e taxa de compressão do motor, junto com um processo de remapeamento da central eletrônica com foco em desempenho em pista. O volante de motor de dupla massa continua, mas é 0,7 quilos mais leve do que o da GT S conferindo assim maior disposição a altas rotações ao motor da GT R – quanto mais leve é o volante do motor mais disposto de girar alto ele se torna.
Tudo isso significa uma aceleração de 0-100 em 3,6 segundos e uma velocidade máxima de 317 km/h. Isso se deve a uma configuração única da caixa de marchas para esse modelo, com configuração de instalação no eixo traseiro para equilíbrio na distribuição de peso, o câmbio de dupla embreagem conta com uma primeira marcha mais longa, e a sétima marcha mais curta em relação ao câmbio que equipa o GT S.

As qualidades dinâmicas do carro estão presentes em seu baixo peso, são 1555 quilos, esse peso hoje em dia é leve, não tão leve quanto o Porsche GT3-RS, mas isso o modelo da Mercedes compensa sendo mais potente entregando uma relação peso potência melhor do que o concorrente conterrâneo 2,66 quilos para cada cavalo. A Mercedes alcançou esse peso com o uso extensivo de fibra de carbono, enrijecendo a carroceria do AMG GT R ainda mais.
A distribuição de peso do modelo é muito próximo do ideal, com 47% sobre o eixo dianteiro e 53% no eixo traseiro, segundo a Mercedes esses 6% a mais de peso sobre o eixo traseiro é proposital para conferir um comportamento mais ágil ao com com uma traseira um pouco mais solta. Tanto é verdade que a Mercedes quer uma traseira mais viva no AMG GT R que pela primeira vez ela equipou um modelo com rodas traseira esterçantes , conferindo mais agilidade em curvas de baixa velocidade e mais estabilidade em curvas de alta.

2017 Mercedes-AMG GT-R - 7

Há freios de cerâmica disponíveis para o modelo e ainda economizam 17 quilos ao conjunto comparado aos modelos de aço. Como todo carro Street legal nenhum detalhe em relação a desempenho pode passar despercebido, e os engenheiros da AMG destinaram alguma atenção a aerodinâmica também. O modelo conta com um spliter frontal que reduz a flutuação do carro em altas velocidades e também remove a turbulência das caixas de rodas.

Boa parte do desempenho do GT R se deve a aerodinâmica ativa, que se movem de acordo com a velocidade para otimizar o fluxo através da carroceria. Acima de 80 km/h um componente em baixo do carro se move 40 mm, em direção ao chão para acrescentar até 40 quilos de pressão aerodinâmica no eixo dianteiro a 250 km/h. Ainda há um aerofólio traseiro ajustável e um duplo difusor traseiro.
O aerofólio traseiro pode ser ajustado manualmente de acordo com as necessidades de pressão aerodinâmica. Ajustado da forma a gerar a maior carga aerodinâmica possível o aerofólio acrescenta até 155 quilos no eixo traseiro em velocidade máxima. Deve ficar muito grudado!

NurLap-1

Vejam a situação que ficaram os pneus Michelim Pilot Sport Cup 2.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s